Blog

Como saber quais cosméticos são naturais e saudáveis de verdade

Como saber quais cosméticos são naturais e saudáveis de verdade

Optar por cosméticos naturais é uma atitude benéfica para todo o corpo, já que utilizamos esses produtos em nossos cabelos e pele, e nosso organismo absorve seus componentes.
 
Uma dificuldade inicial para quem deseja substituir os cosméticos convencionais pelos naturais, é encontrar produtos realmente naturais e de qualidade.
 
Nessa procura, alguns produtos naturais deixam as pessoas intrigadas, pois no rótulo, os ingredientes são apresentados sempre com o nome científico, ou em latim. Esta é a nomenclatura padrão obrigatória, de acordo com o INCI (Nomenclatura Internacional de Ingredientes Cosméticos). Ou seja, em produtos naturais, os ingredientes também serão apresentados desta forma. Veja alguns exemplos:
 
Óleo vegetal de semente de uva: Vitis vinifera seed oil
Óleo vegetal de jojoba: Simmondsia chinensis
Óleo vegetal de rosa mosqueta: Rosa rubiginosa
Óleo essencial de copaíba: Copaifera officinalis / reticulata
Óleo essencial de lavanda: Levandula angustifólia
Óleo essencial de tea tree: Melaleuca alternifólia
Principais agentes nocivos presentes nos cosméticos convencionais:
 
ALUMÍNIO
É muito utilizado em desodorantes e antitranspirantes, mas também pode ser encontrado em esmaltes, blushes, sombras de olho e batons. Nas maquiagens, o alumínio é utilizado como uma espécie de corante. O contato com o alumínio em cosméticos faz com que o corpo absorva uma quantidade elevada do metal, que pode ser prejudicial à saúde.
 
Nos rótulos de cosméticos, o alumínio aparece com as seguintes nomenclaturas:
 
Aluminum Chlorohydrate
Aluminum Chloride
Ammonium Alum
Aluminum Sulfate
Aluminium powder
PARABENOS
São conservantes químicos, utilizados para prolongar a validade dos cosméticos. É comum encontrar essa substância em shampoos, cremes, maquiagens e tônicos. Seu uso foi relacionado a alergias cutâneas e ao envelhecimento precoce da pele, em diversos estudos.
 
Nos rótulos de cosméticos, os parabenos aparecem com as seguintes nomenclaturas:
 
Parabenos
Metilparabeno
Etilparabeno
Propilparabeno
Butilparabeno
LAURIL SULFATO DE SÓDIO
Os sulfatos em geral não oferecem mal algum ao organismo, mas o lauril sulfato de sódio em especial, é capaz de retirar a oleosidade da superfície onde é aplicado e produzir espuma, devido às suas propriedades, emulsificantes, solubilizantes e espumógenas. Por isso, é bastante encontrado em shampoos, sabonetes líquidos e pastas de dente.
 
Em shampoos, esta substância retira a oleosidade natural do cabelo, deixando-o seco, com frizz, ou até provocando efeito rebote, ao deixar ainda mais oleoso. Por isso, a substância não é permitida nas rotinas de no-pow e loo-pow. Seu uso em sabonetes também pode resultar em efeito rebote, além de ser relacionado a reações alérgicas nos olhos e na pele. Em grande concentração, pode resultar em efeitos tóxicos em seres humanos e animais.
 
Nos rótulos de cosméticos, o lauril sulfato de sódio aparece com as seguintes nomenclaturas:
 
Lauril éter sulfato de sódio
Lauril éter sulfonato de sódio
Sodium lauryl sulfate
Sodium lauryl ether sulfate
Sodium laureth sulfate
Sodium dodecyl polyoxyethylene sulfate
Sodium lauryl ethoxysulfate
Sodium polyoxyethylene klauryl sulfate
Monododecyl ester sodium salt sulfuric acid
Sodium dodecyl sulfate
Sodium lauryl sulfate
Sodium salt sulfuric acid
Sulfuric acid monododecyl ester sodium salt
Sulfuric acid
Sodium salt
Akyposal sds
Aquarex me
Aquarex methyl
ÓLEO MINERAL
É um derivado do petróleo, encontrado facilmente em hidratantes, óleos corporais, sombras, blushes, bases hidratantes e shampoos. Tem efeito nocivo aos cabelos, pois se acumula nos fios com o tempo e pode prejudicar o crescimento, quando entope os folículos pilosos. Também é prejudicial para a pele, pois como não se dissolve na água e nem no álcool, acumula-se e entope os poros, favorecendo o surgimento de cravos e espinhas.
 
Nos rótulos de cosméticos, o óleo mineral aparece com as seguintes nomenclaturas:
 
Mineral oil
Paraffin
Paraffinum liquidum
Petrolatum
c10-11 isoparaffin
c13-14 isoparaffin
c13-16 isoparaffin
c15-35 isoparaffin/isoalkylcycloalkanes
c18-50 isoparaffin
c18-70 isoparaffin
c20-40 isoparaffin
Chlorinated paraffin
Petrolatum red
Petrolatum beta
Methyl-cyclododecaneethanol
Diisocetyl dodecanedioate
Dioctyldodecyl dodecanedioate
Dodecane
Dodecanedioic acid
Dodecanedioic acid/cetearyl alcohol/glycol copolymer
c7-8 isoparaffin
c8-9 isoparaffin
c9-13 isoparaffin
c9-14 isoparaffin
c9-16 isoparaffin
c10-13 isoparaffin
c9-11 isoparaffin
c11-13 isoparaffin
c11-14 isoparaffin
c9-12 isoparaffin
c10-12 isoparaffin
c11-12 isoparaffin
c12-14 isoparaffin
c12-20 isoparaffin
COMO ENCONTRAR ESSES INGREDIENTES NO RÓTULO DE UM COSMÉTICO



Figura 1- Creme hidratante para o corpo onde o segundo ingrediente já é um derivado de petróleo frown



Figura 2 – Em destaque, exemplo de emulsificante de origem natural
 
Para adquirir um produto natural de verdade: Clique aqui

Fonte: Clique aqui
 

Comentários